Casa de Up a venda

Uma casa baseada no filme Up da Pixar foi vendida recentemente por um casal da Califórnia no valor de US$400mil dólares.

House from Pixar film Up, located in Herriman, Utah

O designer que construiu a casa é Adam Bangeter, que diz ter incluído cada detalhe possível da casa no filme na sua reprodução.

O que nos deixa com um nó na cabeça. Qual das casas é a mais real? A original, ou a que existe?

Geléia

Para os incansáveis fãs de Friends, quem nunca viu aquele episódio que a Mônica está recém-terminada com o Richard e desempregada e resolve fazer geléia para ocupar seu tempo.

Eu descobri recentemente que uma das coisas mais fáceis de se fazer na cozinha é Geléia e aqui vai a simples receita…

Ingredientes:

  • 1 kg de morango
  • 1 kg de açucar
  • 2 colheres (de chá) de suco de limão

Modo de preparo:
Coloque o morango na panela e deixe esquentar, até soltar líquidos, coloque as duas colheres do suco de limão, despeje o açúcar e deixe cozinhar por meia hora. Espere esfriar e sirva.

O suco de limão é opcional, embora ele dê um gostinho especial. Você também pode incrementar a sua geléia colocando vinho tinto, ou outros ingredientes da sua escolha.

Flash mob – e você pensava que só acontecia nos filmes…

O mais novo filme estrelando Justin Timberlake e Mila Kunis, Amizade Colorida, apesar de ser uma comédia romântica totalmente clichê – ainda mais por ter sido lançado logo após o filme da dupla Ashton Kutcher e Natalie Portman, Sexo sem compromisso, que apresenta exatamente a mesma trama – ganhou muitos pontos comigo por ter feito uso de um recurso grandioso e ao mesmo tempo mais que possível para a cena de “declaração de amor”: o Flash Mob.

Não, o nosso querido Justin não foi o único a usar o Flash Mob pra se declarar e sim, existem muitas pessoas que organizam flash mobs para pedir sua amada em casamento!

A mais nova febre mundial, o Flash Mob nada mais é que um aglomerado de pessoas em um local público para realizar uma ação inusitada e que se dispersam tão inesperadamente quanto se reuniram. Os flash mobs são previamente combinados – claro – e são organizadas normalmente através de e-mails ou meios de comunicação social.

Os flash mobs, muito mais que um happening divertido, são usados para passar diversas mensagens. A T-Mobile fez uso deles para promover a marca, organizando os flash mobs mais famosos atualmente. Mas foi o Black Eyed Peas que quebrou todos os recordes, reunindo 21 mil fãs da apresentadora americana Oprah para comemorar a 24a. edição de seu programa. Além desses existem muitos outros flash mobs muito originais e curiosos, e nem todos envolvem dança, assim como muita gente pensa. O flash mob a seguir é um incentivo a reciclagem feito dentro de um aeroporto no Canadá, e é um dos meus flash mobs favoritos:

Para participar de um flash mob basta procurar por comunidades organizadoras na internet. Divirta-se !

Pretty Woman

Tem músicas que consagram filmes. E… tem filmes que consagram músicas. Um exemplo forte é o filme Uma Linda Mulher (Pretty Woman).

Foto retirada do Filme

Considerado um conto de fadas dos dias atuais, o filme conta a história de uma prostituta moderna (Julia Roberts), que não beijava seus clientes na boca para não se envolver. Mas, um dia, conhece Edward Lewis (Richard Gere), um homem milionário, que a transforma em uma mulher elegante e acaba se apaixonando por ela.

O filme tem tantas cenas marcantes, que fica difícil escolher, mas a cena final ao som da música Pretty Woman, quando Richard Gere finalmente se dá conta de que tem que ficar com a personagem vivida por Julia Roberts, e vai atrás dela, com certeza ganha o filme.

Muitas vezes, é como se a música falasse com o espectador, sem precisar de diálogos ou narrador. A trilha sonora se encaixa tão bem que  o filme fica livre de palavras, até porque, todas as palavras que seriam ditas, não se encaixariam tão bem como as ditas na música.

Muito bem colocada, quem assistiu, não se esqueceu. E ainda mais, depois de ter visto o filme, não dá para escutar a música sem se lembrar dos melhores momentos de Julia Roberts e Richard Gere.

Aí vai a tradução:

Pretty Woman – Roy Orbison

Whoo!
Linda mulher, caminhando pela rua
Linda mulher, do tipo que quero conhecer
Linda mulher, eu não acredito que você, possa ser real
Ninguém pode parecer tão boa quanto você
Clemência
Linda mulher, você me desculpa ?
Linda mulher, eu não pude evitar ter visto
Linda mulher, que você é adorável demais
Você está sozinha como eu
Linda mulher, pare um pouco
Linda mulher, fale um pouco
Linda mulher, dê seu sorriso para mim
Linda mulher, yeah, yeah, yeah, yeah
Linda mulher, olha para onde estou
Linda mulher, diga que vai ficar comigo
Pois preciso de você, preciso de você esta noite. Ah!
Linda mulher, não passe por mim
Linda mulher, não me faça chorar
Linda mulher. não vá embora. Okay.
Se é assim que tem que ser, okay.
Eu acho que vou para casa, está tarde
Amanhã a noite tem mais, mas espere… O que vejo?
Ela está voltando para mim
Whoa, whoa, linda mulher

as canções….

Imagine voce caminhando pelas ruas do Rio de Janeiro, quando alguém te pergunta qual música marcou a sua vida e te convida para cantar e contar a história.  Pois é, foi assim que Eduardo Coutinho e sua equipe , começaram as pesquisas para o filme “As Canções” que estréia no próximo dia 09.

Eles ouviram 237 histórias, das quais selecionaram 18 para o filme. As histórias pessoais são extrardinárias e de certo modo as músicas traduzem as narrativas de um país em um processo de construção onde as relações entre as pessoas ocupam o foco central.

Para quem gosta tem uma musica com uma história pra contar, o filme as Canções de Eduardo Coutinho é imperdivel.

#Fica a dica

Festival Cine Favela de Cinema

Ae galera!

Tá rolando em São Paulo a sexta edição do Festival Cine Favela de Cinema, que até o ano passado, era restrito à Comunidade de Heliópolis.

Realizado pela Associação Cine Favela e pelo SESC-SP, o festival desse ano acontece de 09 a 15 de novembro, tendo como tema o “Pixo como Expressão da Periferia”. O evento abre portas para que a sociedade, o poder público e os pixadores reflitam sobre a questão do pixo ser considerado arte ou vandalismo. Serão exibidos 32 curtas-metragens e 5 longas-metragens, além de encontros, palestras, oficinas e uma exposição de fotos do projeto Ponto de Equilíbrio Imagens – RJ.

O cinema periférico rompe, em 2011, as barreiras das comunidades e chega a 13 pontos de exibição com a pretensão de atingir mais de um milhão de pessoas. As sessões acontecem em quatro unidades da Rede SESC (Osasco, Interlagos, Itaquera e Santana), SENAC Osasco, três Comunidades populares (Heliópolis, Cidade Tiradentes e Paraisópolis), duas estações do metrô (Paraíso e Corinthians-Itaquera), na região central da cidade (Praça Roosevelt), no bairro do Cambuci e na cidade de Campinas. O melhor filme periférico brasileiro será escolhido pelo voto popular.

Outros destaques:

No Metrô, estações Corinthians-Itaquera e Paraíso, uma programação especial começou no dia 1º de novembro e segue até o dia 30, dentro do Encontros, projeto que transforma as estações do metrô em polos culturais: Mostra dos Melhores do 5º Festival Cine Favela de Cinema, Mostra Competitiva 2011; Retrospectiva Cavi Borges; Mostra de Longas-Metragens; e bate papo com Liu Mr. (MC e ator da Comunidade de Heliópolis), Daniel Gaggini (Diretor do Festival), representante da EloCompany (empresa que atua na difusão de audiovisuais) e Reginaldo Túlio (fundador do Cine Favela em Heliópolis).

Para saber mais:

Contatos/Festival: Tel: (11) 7722-3202 – festival@festivalcinefavela.com.br

Não perca essa. FICA A DICA!

A Pele que Habito

Fui assistir esse filme ontem no Cinemark do Higienópolis. Não vou me prolongar sobre o que achei. A ideia geral fica pelas três impressões que se descolaram de mim e de duas amigas que foram comigo. A melhor sacada pra mim foi a da Jé, que comentou sobre como a gente ria em horas inesperadas, resultado desse reino do gênero incerto sobre o qual Almodóvar transita tão bem. A Má se surpreendeu com a Vera, personagem interpretada por Elena Ayala. Também vale destacar a atuação do Antonio Banderas, mais uma ótima direção de atores. E eu fiquei impressionada pela forma como a chave do filme é revelada por uma simples sobreposição. Para mim, Almodóvar nunca manipulou as imagens tão bem.

Almodóvar e Elena Alaya

Mas como o post é sobre referências, vamos a elas.

Almodóvar diz ter baseado seu roteiro no livro de Thierry Jonquet.
Porém, para quem gosta de filme de terror, fica difícil de não lembrar de Eyes Without a Face, de Georges Franju. A semelhança aparece logo na sinopse. O médico, motivado por amor e culpa, busca sem escrúpulos, produzir a pele perfeita. Os filmes também se parecem nas cenas aflitivas sobre a mesa de operação, sem precisar apelar para grandes derramamentos de sangue.

 

Ainda assim, a referência que mais se destaca, na minha humble opinion, é à Louise Bourgeois, artista que morreu ano passado, aos 98 anos. No filme, a personagem Vera observa um livro de suas obras, que serve de inspiração para suas próprias.

Uma de suas obras que aparece no filme 

Ao observá-las, não posso deixar de sentir algo de cruel e desconfortante, balanceado por um certo apelo estético que hipnotiza. Vale a pena fuçar o Google para ver mais obras. À primeira vista elas parecem cruas, duras, mas ao mesmo tempo, a partir do nosso olhar, se tornam viscerais.

Louise Bourgeois por Robert Mapplethorpe, 1982

A risada que vem do inesperado.
Lembra alguém?